Resenha: Kyou no Hi wa Sayounara (J-Movie)

今日の日はさようなら

Fujioka Kouta (Ohno Satoshi) é um homem de 29 anos, um chefe de cozinha entediado com a vida e com seus cenários habituais, mas que após um fluxo abundantemente de sangue pelo nariz e pela boca é levado a um hospital e é diagnosticado com um tipo de câncer de sangue chamado linfoma maligno. Kyou no Hi wa Sayounara trata-se de um especial exibido durante o programa anual de caridade da NTV (24Hr TV). 

Admito que inicialmente decidi assistir a este especial por ser protagonizado pelo Ohno (riida do Arashi!) sem muitas expectativas, no entanto acabei me surpreendendo com o filme. É um filme muito bonito com uma história de superação mas principalmente de aceitação, de encarar os seus problemas e seguir em frente -mesmo esta sendo uma tarefa extremamente difícil, tanto de se aceitar como também  de se encarar. 



Inicialmente, Kouta tem uma chance de 80% de sobreviver e levar uma vida mais normal, mas mesmo assim toda a família fica muito preocupada, o que é natural, porque ainda assim existe os 20% de possibilidade dele não sobreviver ao linfoma maligno. 

Neste filme fica muito evidente a importância da família, vemos que ela permanecerá ao nosso lado em todos os momentos de nossas vidas, não importa o quão difícil ou o quão doloroso seja. Ela nunca irá nos abandonar. O que não foi nem um pouco diferente em Kyou no Hi wa Sayounara. A família de Kouta o apoiou e juntos foram até o fim, seja em visitas ou seja fazendo uma transfusão de sangue. Nem sempre somente a família, mas é nos momentos de mais dificuldade que descobrimos quem realmente se importa conosco.



Para se tratar da doença, Kouta precisa ficar internado em um hospital, e assim acabamos conhecendo alguns outros personagens, um que me chamou muita atenção foi o Harada-kun, interpretado pelo Yamada Ryosuke (Hey! Say! JUMP). Harada esteve internado no hospital desde que era criança, por causa de -se não me engano- algum tipo de câncer. Eu não sei que palavra devo usar para descrever este personagem, mas tenho certeza que se você já assistiu a esse especial sabe muito bem do que eu estou falando, ele era bastante singular e intrigante e as vezes chegava a ser assustador (não que ele fosse assustador ou algo do tipo).



No decorrer de todo o filme vemos a evolução tanto da doença como do protagonista. Kouta precisa aceitar o seu novo eu, encarar a doença (e a realidade) e seguir em frente, não que ele deva aceitar a doença e esperar a morte, mas aceitar o fato de possuir um gene "defeituoso" e fazer o que for necessário para tratá-lo e assim sentir-se um sobrevivente a cada dia (que é o que sugere o título, que se traduzindo ficaria alguma coisa tipo "Adeus para o dia de hoje"). Do meu  ponto de vista, o primeiro passo significante dessa aceitação por parte do personagem foi quando ele decide raspar a cabeça. 

Na minha opinião esta não é uma história sobre câncer, mas a história de uma família que teve a infelicidade de ter um membro portador da doença. É uma história muito bonita e emocionante (sem contar a ótima atuação dos personagens), por isso se você  pretende assistir já deixe um lencinho do lado que eu garanto que as lágrimas vão rolar. Se estiver interessado em assistir o especial, pode encontrá-lo legendado em português no Hatenai Arashi. Se gosta do gênero dramático ou se gosta do riida do Arashi tenho certeza de que irá gostar do filme. Eu recomendo muito!


 photo vy_zps61e8954f.png

Nenhum comentário:

Postar um comentário